quarta-feira, janeiro 24, 2007

22 - As Bestas do Apocalipse

“...não há autoridade que não venha de Deus (...) ...Ela é ministro de Deus para teu bem. Mas, se fizeres o mal, teme, pois não traz debalde a espada. Ela é ministro de Deus, agente da ira para castigar o que pratica o mal.” PAULO AOS ROMANOS CAP.13 VERSOS 1b, 4b.

Muita coisa já foi dita e escrita acerca das bestas apresentadas no Apocalipse. Infelizmente, criou-se todo um folclore acerca desse assunto. Basta que surja algum novo personagem proeminente no cenário político ou religioso mundial, para que seja considerado um forte candidato ao posto de Besta Apocalíptica. Homens como Hitler, Mussolini, Kennedy, Reagan, e até o Papa são alguns dos que já concorreram a esse indesejável posto. Vamos procurar, à luz das Escrituras, identificar essas bestas, e saber qual o papel que elas desempenharam na execução dos propósitos de Deus.


A Besta que emerge do Mar

A primeira Besta vista por João surge do mar. Como já vimos antes, o mar representa os gentios, como podemos ler em Ap.17:15, onde se diz: “As águas que viste (...) são povos, multidões, nações e línguas.” O termo “besta” vem do grego “therion”, e significa um grande e feroz animal que, dentro do simbolismo bíblico, representa um poderoso reino. Daniel fala de quatro bestas, que representariam os quatro grandes impérios que dominariam o mundo. Já em Apocalipse, encontramos apenas duas bestas, a que emerge do mar, e a que sobre da terra. A primeira besta do Apocalipse eqüivale à quarta besta do Livro de Daniel, isto é, o poderoso Império Romano. É interessante que, de acordo com as descrições de João, esta besta possui características inerentes a cada uma das quatro bestas do Livro de Daniel. [1]
1. Dez Chifres - Como a 4a. Besta de Dn.7:7 - Representam os reis das dez províncias romanas, responsáveis por manter a união da Roma Imperial.

2. Semelhante ao Leopardo - Como a 3a. Besta de Dn.7:6 - Representa a velocidade com que o reino grego alcançou suas conquistas.

3. Pés como de urso - Como a 2a. Besta em Dn.7:5 - Representa a força, estabilidade e consolidação, características encontradas no Império Persa.

4. Boca como de leão - Como a 1a. Besta em Dn.7:4 - Representa a ferocidade ameaçadora da monarquia babilônica.

Como se não bastasse reunir as principais características dos impérios que o antecederam, João afirma que “o dragão deu-lhe o seu poder, o seu trono e grande autoridade” (Ap.13:2b). Foi no tempo de Nero que Roma insurgiu-se contra a Igreja pela primeira vez. É interessante frisar que durante um tempo de seu reinado, Nero parecia um homem sensato, coerente, seguidor fiel dos ensinos de Sêneca. Repentinamente, Nero ficou irreconhecível, transformando-se num homem cruel, capaz de mandar executar a sua própria mãe. Era como se ele houvesse sido possuído pelo próprio Satanás. No documento cristão primitivo conhecido como Ascensão de Isaías, lemos que Belial[2] “descerá do seu firmamento sob a forma de um homem, de um rei ímpio, assassino de sua própria mãe”. [3] Roma agora, seria a agência oficial de Satanás em sua pretensão de dominar a terra, ao mesmo tempo que seria o instrumento da Justiça Divina sobre o povo rebelde.
João vê “uma de suas cabeças como golpeada de morte, mas a sua chaga mortal foi curada”(v.3a). A besta tinha 7 cabeças, que segundo a explicação dada a João, seriam sete reis, sendo que, cinco já haviam caído, um existia, e outro ainda não era chegado. Confira a relação dos sete, e identifique o imperador em questão.
1- Augusto
2- Tibério (14-37 d.C.)
3- Calígula (37-41)
4- Cláudio (41-54)
5- Nero (54-68)
6- Vespasiano (69-79)
7- Tito (79-81)

A “cabeça golpeada de morte”, certamente é uma alusão a Nero, que por não suportar a pressão sofrida por parte do Senado, que o considerava inimigo público, preferiu suicidar-se, ferindo-se na garganta com uma espada. Com a morte de Nero, o Império Romano ficou em frangalhos. Muitos cristãos que sobreviveram à perseguição neroniana, e que agora eram oficialmente proscritos, devem ter entendido os horrores que sobrevieram a Roma como um ato de juízo divino. Tudo indicava que Roma estava com os seus dias contados. Eclodiam revoltadas em várias províncias. As tropas do Reno tentaram estabelecer seu comandante, Vergínio Rufo, como o novo imperador. Foi aí que descobriu-se que “um imperador podia ser feito fora de Roma”[4] A Guarda Pretoriana posicionou-se a favor de Galba, que ironicamente, acabou assassinado pelos próprios pretorianos que o exaltaram. Oto, que era governador na Espanha, cortejando as simpatias das tropas locais, foi declarado imperador. Mas as legiões do Reno nomearam Vitélio, e marcharam sobre a Itália. Em meio a este tumulto, as províncias orientais proclamaram Vespasiano como o legítimo imperador de Roma. Antes que se findasse o ano de 69, as tropas de Vitélio foram derrotadas, e Vespasiano tornou-se o único imperador de Roma. Enfim, o conturbado Império, como a Fênix, parecia renascer das cinzas. Por isso, Vespasiano é considerado o sexto imperador, vindo logo após Nero. A Besta se recuperara da chaga mortal que a atingira na cabeça. Por isso, “toda a terra se maravilhou, seguindo a besta”(v.3b). Roma voltara a ser o que era antes.
Vespasiano deu origem a uma segunda dinastia em Roma, a Flaviana ( a primeira começou com Augusto César e terminou com Nero ). Ele foi sucedido por Tito, o mesmo que comandou a destruição de Jerusalém, que por sua vez foi sucedido por Domiciano, seu irmão.
Ainda sobre o conturbado hiato entre as duas dinastias, representadas por Nero e Vespasiano, centenas de anos antes, Daniel anteviu tais acontecimentos. Leia atentamente o seu relato:

"Então tive o desejo de conhecer a verdade a respeito do quarto animal, que era diferente de todos os outros, muito terrível, cujos dentes eram de ferro, e as unhas de bronze - animal que devorava, e fazia em pedaços, e pisava aos pés o que sobrava. Também tive desejo de conhecer a verdade a respeito dos dez chifres que tinha na cabeça, e do outro que subia, diante do qual caíram três, isto é, daquele chifre que tinha olhos, e uma boca que falava com vanglória, e parecia ser mais robusto do que os seus companheiros (...) Disse-me ele: O quarto animal será o quarto reino na terra, o qual será diferente de todos os reinos e devorará toda a terra, e a pisará aos pés, e a fará em pedaços. Quanto aos dez chifres, daquele mesmo reino se levantarão dez reis. Depois deles se levantará outro, o qual será diferente dos primeiros, e abaterá três reis.” DANIEL 7:19-20, 23-24.

Para que Vespasiano se firmasse como o único Imperador de Roma, três outros precisariam ser abatidos, Galba, Oto e Vitélio. Vespasiano trouxe de volta a harmonia ao Império. As províncias se unificaram novamente, e a Pax Romana revigorou-se.
Tanto Daniel quanto João dizem que a Besta recebeu “uma boca para proferir arrogâncias e blasfêmias, e deu-se-lhe autoridade para continuar por quarenta e dois meses. E abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome, e do seu tabernáculo e dos que habitam no céu. Também foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los. E deu-se-lhe poder sobre toda tribo, língua e nação”(Ap.13:5a,6-7 compare com Dn.7:8b, 20-22,25). [5]

A perseguição aos cristãos iniciada por Nero, só foi retomada por Domiciano, o segundo filho de Vespasiano. Cada um dos atributos apresentados acima são inerentes a ele. Mais adiante, quando estudarmos o capítulo 17 de Apocalipse, vamos investigar mais a miúde o reinado desse cruel imperador, que entre muitas coisas, insistia com a idéia absurda de que era “deus”, e por isso, deveria ser adorado. Aliás, foi esse o estopim que deflagrou uma perseguição sem precedentes à Igreja Cristã. João nos informa em seu relato, que “todos os que habitam sobre a terra a adorarão, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo. Se alguém tem ouvidos, ouça. Se alguém deve ir para o cativeiro, para o cativeiro irá. Se alguém deve ser morto à espada, necessário é que à espada seja morto. Nisto repousa a perseverança e a fidelidade dos santos”(vs.8-10). A partir daí, os algozes já não seriam os judeus, propriamente, mas a Roma Imperial.

A Besta que subiu da Terra

Para identificarmos a segunda besta, precisamos identificar sua origem. Enquanto a primeira emerge do mar (nações gentílicas), a segunda sobre da terra, que é uma alusão clara a Israel. Trata-se de uma estrutura de poder originária da nação judaica. Esta besta se apresenta com dois chifres “semelhantes aos de um cordeiro”, o que denota uma estrutura de apelo religioso. Se os dez chifres da primeira besta representam dez reis, é plausível inferir que os dois chifres da segunda besta representem duas autoridades religiosas, ou mais provavelmente, duas facções religiosas. Se for assim, podemos identificá-los com os dois principais e mais influentes grupos religiosos da época: os escribas[6] e os fariseus[7].
João diz que aquela besta se apresentava como um cordeiro, “mas falava como dragão”(v.11). Isso se encaixa bem na descrição que Jesus deu de alguns líderes religiosos judeus de Sua época. Jesus, o verdadeiro Cordeiro de Deus, afirmou que eles não entendiam a Sua linguagem. “Vós pertenceis ao vosso pai, o diabo”, declarou Ele, “e quereis executar o desejo dele. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, pois não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, pois é mentiroso e pai da mentira”(Jo.8:44). Por trás da aparência de cordeiro, havia uma natureza diabólica. Pele de cordeiro, voz de dragão! Foi Jesus quem os denunciou, dizendo: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Limpais o exterior do copo e do prato, mas o interior está cheio de rapina e de intemperança (...) Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas por dentro estão cheios de ossos de mortos, e de toda imundícia. Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas interiormente estais cheios de hipocrisia e de iniquidade (...) Serpentes, raça de víboras! Como escapareis da condenação do inferno?”(Mt.23:25,27-28,33). Jesus chega a chamá-los de “filhos do inferno”(Mt.23:15).
Está mais do que claro que a segunda besta nada mais é do que o judaísmo apóstata, com os seus dois principais partidos religiosos, os escribas e os fariseus.
Sua hipocrisia era tamanha, que eles se diziam defensores dos interesses romanos. Por isso é dito que a segunda besta “exercia toda a autoridade da primeira besta na sua presença, e fazia que a terra e os que nela habitavam adorassem a primeira besta, cuja chaga mortal fora curada”(13:12). Exemplos disso podem ser encontrados em diversos episódios, onde os judeus afirmavam total lealdade ao poder imperial. Quando Pilatos tentava soltar Jesus, os judeus em uníssono gritavam: “Se soltares a este, não és amigo de César. Qualquer que se faz rei se opõe a César”(Jo.19:12b). No dia da preparação da Páscoa, Pilatos tentou pela última vez dissuadir os judeus. Trazendo Jesus perante eles, disse: “Eis o vosso Rei. Mas eles gritaram: Fora! Fora! Crucifica-o! Perguntou-lhes Pilatos: Hei de crucificar o vosso Rei? Responderam os principais sacerdotes: Não temos rei, senão César. Finalmente Pilatos o entregou para ser crucificado”(vs.14b-16). Quão caro lhes custou tal hipocrisia! [8]
Uma interpretação alternativa plausível seria identificar os dois chifres daquela besta como sendo “os falsos cristos” e os “falsos profetas” (Mt.24:24). A diferença entre eles é que, geralmente, os falsos cristos se opunham ao domínio romano, prometendo liberdade do jugo imperial aos judeus, apresentando-se assim como os verdadeiros “messias” (2 Pe.2:19). Pedro os chamou de “falsos mestres” (2 Pe.2:1). Já os “falsos profetas”, geralmente, eram aliados de Roma, e tinham como pretensão promover o culto ao imperador. Não podemos ignorar que alguns poderiam receber qualquer uma dessas alcunhas.
Não importa se os dois chifres representavam os escribas e fariseus, ou os falsos cristos e falsos profetas, ou os dois grupos ao mesmo tempo. O fato é que a segunda besta nada mais é do que a representação do judaísmo apóstata, responsável direto pela crucificação do Senhor Jesus.

[1] Isso comprova o que já dissemos antes, que os quatro anjos que comandam o cerco de Jerusalém (Ap.9:15) representam cada um dos quatro impérios mundiais, e as quatro qualidades de gafanhotos que destroem a figueira improdutiva (Israel). Roma veio dar seqüência à destruição iniciada por Nabucodonosor, como instrumento do juízo divino sobre o povo que rejeitara o seu Deus.
[2] Belial - Um dos nomes pelos quais Satanás é apresentado na Bíblia e na cultura judaica.
[3] Ascensão de Isaías 4:2
[4] CHAMPLIN, R.N., Enciclopédia da Bíblia, Teologia e Filosofia, vol.3, pág.291.
[5] Embora acreditemos que os 42 meses devem ser interpretados, a priori, como sendo figurativos, é interessante frisar que a perseguição empreendida por Nero aos cristãos teve a duração de exatos 42 meses.
[6] Escriba - Um erudito ou autoridade na Lei. Os escribas eram ligados ao partido sacerdotal. Mais tarde, passaram a ser chamados de “rabinos”. Havia escribas sacudeus e fariseus.
[7] Fariseus - Partido religioso judaico extremamente legalista, que diferia dos saduceus quanto à crença na imortalidade da alma, na existência dos anjos, e na aceitação de todo cânon judaico (os saduceus só aceitavam o Pentateuco).
[8] Confira ainda Atos 17:7, onde os judeus acusaram Paulo e Silas de procederem contra os decretos de César, por dizerem que havia outro rei, Jesus.

22 comentários:

João disse...

Bem-haja Rev. Hermes Fernandes

Tenho lido os seues artigos e identifico-me com eles e têm sido de grande inspiração para mim.

Gostaria de pedir o seu contacto e autorização para publicar alguns dos seus artigos num novo "site" que estamos a lançar em Portugal sobre as questões Escatológicas.

Peço que me contacte para podermos trocar informação e manter o contacto.

o meu endereço é: preterista@kanguru.pt

João Pedro Robalo

PAULO disse...

Bom goitei do seu estudo das bestas do apocalipse so que vc, como muitos teologos ve so duas bestas so que sao tres besta, Besta do mar Ap 13:1 besta da terra Ap 13:11 besta do deserto ou do abismo Ap 17:3 1°BESTA GOVERNO MUNDIAL 2°BESTA ANTCRISTO 3°BESTA GOVERNO ESPIRITUAL FALSO PROFETA A TRINDADE DE SATANAS. AGORA TRINDADE DE DEUS. 1° DEUS GOVERNO SUPREMO 2° JESUS FEITO CARNE 3° ESPIRITO SANTO. si enteressarem tenho tudo em meu livro e todos estudos fiquem com a graça de JESUS. p-h-dearaujo@hotmail.fr

Alemao disse...

Não está certo está sua explicacao de que a besta(reino) que subiu do mar(povoado) é o imperio romano, o 4 animal tem 10 chifres, que sao os 10 povos que deram origem a origrem a europa atual:

visigodos = espanha, anglo-saxoes = inglaterra,germanos=alemanha, francos-frança, lombardos=italia, burgundios=suiça, suevos = portugal
herulos,vandalos,ostrogodos.

e entre os chifres(reinos) subiu um 11º[roma papal] que derrubou 3(herulos, vandalos, e ostrogodos).

compare as caracteristicas desse chifre pequeno e da besta que subiu do mar. Com isso podemos perceber que o chifre pequeno[roma papal] é igual a besta que subiu do mar.

vejamos algumas caracteristicas:

a besta atua por 3 anos e meio.
ou um tempo e tempos e metade de um tempo.

42 * 30 = 1260 dias ( e em profecia um dia equivale a um ano)

entao sao 1260 anos. Veja que fiz os calculos utilizando apenas 30 dias no mes, que na verdade o calendario na epoca de Joao era o calendario judaico.

com o edito de justiniano que foi elaborado em 533 e entrou em vigor no ano de 538.

538 + 1260 anos = 1798 ( foi em 1798 que Berthier prendeu o papa e colocou uma ferida de morte no papado).

chicobiblia disse...

Quanta asneira escreve o autor deste artigo! Afirmar que a primeira besta de Apocalipse 13 é o imperador Nero e que a cura de sua ferida mortal ocorreu quando Vespasiano subiu ao poder! Por que? Resposta: O livro de Apocalipse foi escrito mais ou menos no ano 96 da Era Cristã, quando Nero e Vespasiano já tinham morrido. Conforme a introdução do livro (Ap 1:1) suas profecias se referem ao futuro e, portanto, não podemos aplicá-las ao passado. Nem Nero nem Vespasiano tem alguma coisa a ver com a besta!

Hermes C. Fernandes disse...

Chicobiblia,

Se você ler direitinho, verá que o assunto do Apocalipse focava coisas passadas, presentes e futuras. Leia Ap.1:19:

"Escreve, pois, as coisas que tens visto (passado), e as que são (presente), e as que depois destas hão de acontecer (futuro imediato)".

A propósito, de onde você tirou esta data (96 d.C.)?

O livro foi escrito por volta de 68 d. C.

chicobiblia disse...

O livro de Apocalipse escrito no ano 68 d.C.?! Eu é que pergunto: De onde você tirou esta data? O Apocalipse foi escrito no final do reinado do imperador Domiciano. Você está muito desinformado. A data mais aproximada é mesmo 96 d.C. Embora alguns queiram aplicar as profecias do Apocalipse ao passado, o início do livro diz: "... para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer . . . " Portanto, suas profecias deveriam se cumprir depois da data em que o livro foi escrito. Se já haviam se cumprido, não seriam profecias!

Hermes C. Fernandes disse...

Caro Chico,

Não sou eu quem diz, mas muitos dos estudiosos do livro.

Há menção ao templo em Jerusalém. Ora, se foi em 96, o templo já havia sido derrubado.

Aconselho que leia comentários de Apocalipse que não sejam apenas os dispensacionalistas.

denis_teotonio disse...

procurem fazer o ide de vcs ao invés de ficarem tentando decifrar os mistérios de DEUS.

Romão Casals disse...

O poder representado pela besta é a repugnante mentira que semeia o culto à perplexidade, é permitir que a ganancia do sionismo vingue outra vez pela forma mais obscena.

A crença na lenda de milhões de judeus mortos por genocídio às mãos dos alemães durante a 2ª guerra mundial ultrapassa os limites do contra-senso, um pormenor que deveria sugerir um cuidado adicional e uma análise mais profunda.

Devo também dizer que a lenda do extermínio foi intencionalmente explorada para obter vantagens políticas e financeiras. Os desproporcionais subsídios pagos pela Alemanha como forma de “reparação de danos” têm sido muito bem rentabilizados pelo estado de Israel ao longo de três gerações.

Nunca em tempo algum a Alemanha arquitectou qualquer plano de guerra ou política de extermínio contra o povo judeu, as difundidas histórias de terror gratuito não passam de propaganda mentirosa deliberadamente explorada pelo sionismo como prova da intolerância, ódio e acto de perseguição à liberdade de expressão.

Adolf Hitler foi um homem honrado, respeitador, tolerante e sobretudo com elevados valores nos princípios da dignidade no ser humano, foi nomeado por duas vezes homem do ano chegando a ser proposto prémio Nobel da paz, teve a coragem de enfrentar uma guerra que tudo fez para evitar, a dissimulada forma que ingleses e franceses conspiraram para a declaração do conflito é o reflexo do mundo de hoje.

A tese na qual milhões de pessoas padeceram em câmaras de gás é inteiramente falsa, os amplamente divulgados gaseamentos nunca poderiam ter sido possíveis, as alegadas “salas da morte” em Auschwitz-Birkenau, Treblinka ou Dachau representam uma mentira facilmente identificável.

A inadequada reputação do Fuhrer deve-se sobretudo ao resultado de uma repetida lavagem cerebral que durante mais de 60 anos atingiu pessoas de todas as classes sociais, este desprezível acto de repugnante ignorância sublinha a dimensão de uma fraude que desafia a descrição em qualquer língua.

Luiz Antunes disse...

Estou lendo e interpretando o Apocalipse, é tem todo sentido mesmo, Mais tem muitos Evangelicos Protestantes mesquinhos que fazem interpretações erradas da Biblia, dizendo que o Papa é a besta, e muitas outras coisas Insanas, mais a Ultima besta é o Anti Cristo, João fala que ele virá e desviará muitos Cristãos de sua Religião, ai eu vos pergunto que são os que se dizem Certos e estão Crescendo cada dia mais ??? Resposta: os Evangelicos protestantes, que distorcem a Verdade do Apocalipse.

Sued Oliveira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Sued Oliveira disse...

Tenho acompanhado um pouco as discussões nesse blog e as interpretações do Reverendo sobre o livro. De acordo com elas, tudo o que foi visto por João, já ocorreu. Então, a única coisa que devemos esperar é o arrebatamento da Igreja. Se isso é verdade, significa dizer que Deus deixou mais de 1500 anos fora das revelações do Apocalipse. De acordo com o Reverendo, esse livro não tem nada a nos dizer sobre a nossa era e o estado de coisas que nós vivenciamos hoje dia. Se as revelações do apocalipse já ocorreram todas, então estamos no completo escuro quanto ao nosso tempo hoje. Se tudo foi consumado com a destruição do templo em Jerusalém e a perseguição à Ig. primitiva, então a Idade Moderna foi "esquecida" por Deus.Então, poderíamos inferir das interpretações do Rev. que a única coisa que o Apocalipse tem a dizer aos crentes da Idade Moderna é: Esperem o arrebatamento. Como sugestão aos leitores desse blog e ao Reverendo, sugiro que leiam Apo.17: 9-13. Esse texto revela a fala do Anjo a João sobre a Besta de 7 cabeças. Em suma ele diz que são 7 reinos, dos quais 5 já foram (Egito, Assíria, Babilônia, Medo-Persa e Grego) um ainda existe (Roma)e o outro ainda não é vindo. Portanto, depois do governo de Roma ainda iria se levantar outro Reino, que segundo Daniel, seria diferente de todos os outros. Penso, que este reino já está entre nós há muito tempo. Na verdade está debaixo dos nossos olhos e não conseguimos admitir isso.

Lena Biagi disse...

Olá meu querido amigo Reverendo Hermes, quanto tempo hein?!
Estudando a Bíblia achei esse seu blog, q muito me interessou.Chamou-me a atenção a sua afirmação de q a besta referida no Apocalipse é Nero, não tenho dúvidas q o chifre pequeno do livro de Daniel e a besta significam a mesma coisa. porém li alguns artigos q afirmam se tratar do poder do papado. Ñ quero entrar em discussões a respeito das profecias, até porque seremos salvos pela nossa fé, mas gostaria muito q o Reverendo verificasse esse link e depois se quiser me compartilhar o q achou...
http://jonatanconceicao.blogspot.com.br/2009/10/o-chifre-pequeno-de-daniel-7.html

ROBERTO SILVA disse...

No afã de confirmar o sobrenatural, sempre deixamos de questionar a existência de profecias, visões e milagres. Peço licença para defender a versão que todo fundamento cristão tenha sentido filosófico e gerado por mentes evoluídas no autoconhecimento. Prefiro crer que a besta simbolize a paixão do indivíduo por ele mesmo, a fonte do individualismo; as sete cabeças refiream-se aos sete pecados decorrentes dessa relação; a besta do mar e a besta da terra acompanham a simbologia de homem e de mulher.

Felipe Y disse...

EE GOSTARIA QUE O ALEMÃO POSTASSE NO MEU E-MAIL, POR FAVOR, ALGUNS ASSUNTOS SOBRE ESSE.

EU GOSTEI MUITO DOS SEUS DETALHES

DO CALENDÁRIO DA ÉPOCA E MAIS COISAS.

EU IRIA AGRADECER DEMAIS

É ESSE AQUI: flp.yuri@hotmail.com

Valter Amorim disse...

O mistério dos sete reis de Roma se poderá entender assim: precisamente, ao se verificar que o império teve diversos tipos de governo, entre os quais:

Matriarcado, Patriarcado, Triunvirato, Decenvirato e Remado - os cinco reis ou formas de governo que, na época de João, já haviam caído. Segundo o emissário(anjo) espiritual, "um existe": o império; outro ainda não é vindo: a república.

O Oitavo rei era a ROMA PAPAL OU O CARGO DE "papa", que se colocava no lugar de Deus.

Postagem completa;

http://aquariuspage.blogspot.com.br/2011/11/o-anticristo-e-o-oitavo-rei.html

mengo lopes disse...

Uma pergunta ao dono do blog . Se a profecia das duas bestas do apocalipse já se cumpriram como explicar que no cap.19 do apoc. fala que a besta e o falso profeta foram aprisionados e jogados vivos no lago de fogo na manifestação da segunda vinda de Cristo ? Isto já ocorreu ? Gostaria de saber também sua opinião sobre o arrebatamento . Um abraço!

Tonzinho disse...

Complicado algumas colocaçoes postas e sem necços, a interpletaçao se da pelo Espirito Santo de Deus,
senao qualquer um intenderia os misterios de Deus,.

Tonzinho disse...

O Apocalipse se da a entender por parte,com referencias nas profecias e fatos contidianos nos tempos Apostolicos, com Fatos Reais Fisicos e Fatos Simbólicos, Exemplo,"Mulher"Em Profecias, Igreja.,,Agua

Lucas Felipe disse...

A besta do apocalipse é o papa João Paulo II, está escrito, e a besta que foi ferida com chaga mortal foi curada e todos se maravilharam após a besta, assim como a "igreja" Católica faz adora um homem ao invés de Deus, adora ídolos de pedra e madeira que nada podem fazer, e o papa João Paulo II foi ferido com um tiro e foi curado após, e adoraram ele os "fiéis" Católicos, está escrito é dos cinco reis e será o oitavo também, era e já não é mas há de vir, Roma a besta de dez cabeças e sete chifres foi considerado um Império e agora quem é Papa lá é considerado rei, o nome dele em italiano sua terra de origem, é Giovanni Paolo, aqui a sabedoria é um número de homem e o seu número é 666, no alfabeto de Pitágoras as letras FOX correspondem cada uma ao número 6, e percebemos que no nome dele há três 'O's o que dá 666, um 'O' no primeiro e dois 'O's no segundo, o que mostra que é ele
mesmo a primeira besta do Apocalipse, e então o papa João Paulo II foi um dos cinco e será o oitavo também, mas como se ele morreu? estão fazendo uma imagem para esse papa, que eles chamam de beatificação do papa, e vi fazerem uma imagem para a besta e o adoraram.
Roma e a "igreja" Católica é a Prostituta do Apocalipse, e vi uma mulher assentada sobre muitas águas, as águas simbolizam muitos povos e nações e línguas enganadas pela Prostituta, ou seja as multidões que a "igreja" Católica ajunta por aí, e ela estava embriagada pelo sangue dos santos,
significa os muitos servos de Jesus Cristo que foram mortos por ela por conhecerem a Verdade, também pelas cruzadas que ela fazia e matava muitos inocentes, mas justiça será feita, assim como Pedro foi morto igualmente ao Salvador, numa cruz, onde o seu Mestre já havia feito isso por ele, Justiça será feita, quem mata a espada justo é que a espada morra,
também está escrito. E nessa cidade há sete montes, a cidade a qual há sete montes é Roma e vi uma segunda besta que tinha dez chifres, os dez chifres são dez governos, ou seja o Estados Unidos e os outros 9 países considerados grandes, as dez "potências", como em todas as pessagens se
referem a dois indivíduos
A organização das nações unidas a ONU, e fizeram guerra a Prostituta e colocaram nua e comeram sua carne, e deram o seu poder a primeira besta, ou seja Papa João Paulo II, ou seja o que eles vão fazer, o Estados Unidos de Barack Obama a segunda besta fará guerra a "igreja" Católica e a
destruirá e vencerá ela e colocará nua e comerão a sua carne, e em seguida dará o seu poder ao papa
João Paulo II, ou seja a Prostituta a "igreja" Católica acaba mas o Papa João Paulo II continua, e reinará, e combaterão contra o Cordeiro, mas o Cordeiro os vencerá, porque é o Rei Dos Reis e Senhor dos Senhores
então a primeira besta é o Papa João Paulo II, diga não a ele
Napoleão Bonaparte foi o primeiro anticristo, que através da revolução industrial, destruiu as principais coisas de Deus, diga não a ele
Adolf Hitler foi o segundo O Anticristo, digno é do inferno
O último anticristo não é ainda a primeira besta, o último anticristo vem do Bahalaismo uma seita
inglesa ocidental, diga não a ele
Sai dela povo meu, assim diz o Salvador
A outra Prostituta, é os Estados Unidos, a grande babilônia, a mãe das prostituições rainha das
abominações da terra, que tenta comandar tudo através da americanização, a globalização, como toda
passagem se refere a dois indivíduos,
A besta que sobe do abismo é George W. Bush que colocou nua a outra Prostituta Estados Unidos,
representada por Nova York e World Trade Center, e comeu da sua carne e a queimou, como aconteceu o
ataque a World Trade Center, e ele também fará guerra a Prostituta Católica, e colocará nua a comerá
da sua carne e a queimará, diga não a ele
Você pode buscar a Verdade por si mesmo, somente a Verdade vos libertará

Unidade Independente de Investigação disse...

Legal! Mas não é bem assim não. O Rei dos Judeus irá combater com os seus anjos contra os dez reis que eram aliados a besta, e a prostituta... igreja falsa que adora imagem e diz ter poder de tornar homem santo e perdoar pecado, seria destruída... os próprios dez reis que deram seu poder a besta, eles mesmos a colocariam nua, comeriam a sua carne e a queimarão viva e essa igreja falsa que adora e faz o povo adorar imagem esculpida deixaria de existir para sempre. No Apocalipse diz; e os que foram degolados pela besta por amor ao testemunho estavam com o Rei dos Judeus quando Ele pisou no monte das oliveiras e este monte se partiram em dois. Portanto; A besta vai se manifestar nos tempos de hoje. E certamente sairá do vaticano... eu entendo dessa forma.

Unidade Independente de Investigação disse...

'A primeira vez que um papa comando uma nação reconhecida por todos os países do mundo como um reino é agora. Hoje, é oficial... a partir de 1929 o vaticano se tornou cidade nação. A primeira vez que o papa se tornou rei é essa. Reconhecida por todas as nações da terra. Portanto, se preparem, pois quando o bento 16 morrer... tudo o qu diz os escritos sagrados vai começar. E sobre evangelicos, católicos, muçumanos, ou seja lá o que for, não tem nada com DEUS. DEUS não é religião e muito menos O SEU AMADO FILHO. Católicos, evangélico, ou seja lá o que for defendem política... e o que é de DEUS não mantem relação com essa corrupções.