sexta-feira, fevereiro 22, 2008

20 - A Sétima Trombeta e o Mistério de Deus

“Mas há um Deus nos céus, o qual revela mistérios.” Daniel 2:28a.

Entre as três primeiras pragas e as sete últimas, há um intervalo de seis capítulos. Os assuntos contidos nesses capítulos visam alertar a Igreja para o seu papel na execução dos propósitos de Deus. Portanto, do capítulo 10 ao 15, o foco sai de Israel e recai sobre a Igreja cristã.

No capítulo dez, João vê um forte anjo descendo do céu, vestido de uma nuvem. Sobre a sua cabeça havia um arco-íris; seu rosto brilhava como o sol, e os seus pés se assemelhavam a colunas de fogo. Estas descrições nos levam a crer que trata-se do próprio Cristo em uma teofania (1). Afinal, Ele é o Anjo da Aliança (o arco-íris simboliza a aliança), e somente o Seu rosto é apresentado com um brilho superior ao do sol (Ap.1:16). Quanto ao livrinho que Ele tinha na mão, trata-se do mesmo livro que o Cordeiro recebeu da mão de Deus, o Pai, e que representa a totalidade do propósito de Deus para com o universo físico e espiritual (Ap.5). O livro está aberto porque os seus selos já foram rompidos. Quando se diz que os Seus pés estão sobre a terra e o mar, revela-se que o Seu Reino abrange todos os povos e nações, e não apenas os judeus, como imaginavam alguns. A palavra “terra” representa Israel, enquanto que “mar” representa os povos gentílicos.


Sua voz parece o rugido de um leão; afinal, Ele mesmo é chamado de “o Leão da Tribo de Judá” (Ap.5:5). João intenta escrever o que Ele diz, mas isto lhe é vetado. Por enquanto, trata-se de um mistério, que só deverá ser revelado no momento certo. Paulo relata uma experiência muito similar a esta. Ele também “ouviu palavras inefáveis, as quais não é lícito ao homem referir” (2 Co.12:4).

De repente, João assiste a uma cena indescritível. O anjo que ele via “levantou a sua mão direita ao céu, e jurou por Aquele que vive para todo o sempre, o qual criou o céu e o que nele há, e a terra e o que nela há, e o mar e o que nele há, que não haveria mais demora” (10:5b-6). Se Aquele Anjo era o próprio Deus, por que se diz que Ele jura por Aquele que vive para todo o sempre? Isto está perfeitamente em linha com o que dizem outras passagens das Escrituras. Em Hebreus 6:13, por exemplo, é dito que Deus, “como não tinha outro maior por quem jurasse, jurou por si mesmo.” Em Isaías 45:23, o próprio Deus afirma: “Por mim mesmo jurei, a minha boca proferiu, com toda a integridade, uma palavra que não tornará atrás: Diante de mim se dobrará todo joelho...”


E para o quê não haveria mais demora? Ele responde: “Mas nos dias da voz do sétimo anjo, quando ele estiver prestes a tocar a sua trombeta, se cumprirá o mistério de Deus, como anunciou aos profetas, seus servos” (10:7). Que mistério seria esse? Para descobrirmos, teremos que avançar um pouco no texto, e descobrir o que aconteceu ao ressoar da sétima trombeta.

No capítulo 11, no verso 15 lemos:

"O sétimo anjo tocou a sua trombeta, e houve no céu grande vozes, que diziam: Os reinos do mundo vieram a ser de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará para todo o sempre.”
Aquilo que antes era mistério, e que João não podia sequer relatar, agora era proclamado com grandes vozes. Os reinos e as nações de todo mundo foram entregues a Cristo como Herança. É deste mesmo mistério que Paulo fala em suas epístolas. Este é o “mistério que desde tempos eternos esteve oculto, mas que se manifestou agora, e foi dado a conhecer pelas Escrituras dos profetas, segundo mandamento do Deus Eterno, a todas as nações para obediência da fé” (Rm.16:25b-26). Em Colossenses ele fala do “mistério que esteve oculto durante séculos e gerações, e que agora foi manifesto aos seus santos. A eles Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, esperança da glória” (Col.1:26-27). Em 1 Tm.3:16, Paulo diz que o grande mistério da piedade é que Cristo Se manifestou em carne, foi justificado em espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo, e recebido acima na gloria.

A prova textual de que a sétima trombeta já ressoou está no fato de que o mistério de Deus já nos fora revelado, e não só isso, mas também cumprido. Paulo diz que Ele “desvendou-nos o mistério da sua vontade (...) de fazer convergir em Cristo todas as coisas, nas dispensação da plenitude dos tempos, tantos as que estão nos céus como as que estão na terra”(Ef.1:9a,10). Jesus também fala acerca dos mistérios do reino de Deus, que são revelados aos Seus pequeninos (Mc.4:1).

Se mistério de Deus ainda não se cumpriu, então, Cristo não está em nós. Ainda não somos Seu Templo, e Ele não tem o direito de reclamar soberania sobre qualquer nação.

Seria a queda de Jerusalém e de seu templo que comprovaria que Cristo reina agora em uma Nova Jerusalém (a Igreja), e Seu sacerdócio é exercido em um Novo Templo.

João também testemunha outra extraordinária cena:

"E os vinte e quatro anciãos, que estão assentados em seus tronos diante de Deus, prostraram-se sobre seus rostos, e adoraram a Deus, dizendo:Graças te damos, Senhor Deus Todo-Poderoso, que és, e que eras,porque tomaste o teu grande poder, e reinaste. Iraram-se as nações; então veio a tua ira, e o tempo de serem julgadosos mortos, e o tempo de dares recompensa aos profetas,teus servos, e aos santos, e aos que temem o teu nome,a pequenos e a grandes, e o tempo de destruíres os que destroem a terra.”Apocalipse 11:16-18.

O que confunde muita gente é a frase “e o tempo de serem julgados os mortos”. Porém, o que está em vista aqui, não é o juízo final, mas o julgamento da causa dos mortos. A queda de Jerusalém era o resultado do clamor das almas que em suas ruas haviam sido martirizadas. Era chegada a hora dos santos mártires, profetas e apóstolos serem vindicados! E não só isso: chegara a hora de receberem suas recompensas. Lembre-se que eles só seriam aperfeiçoados depois que se completasse o número dos que haviam de morrer, completando assim a medida de pecado da cidade infiel. Com a sétima trombeta, a causa dos mortos é julgada, os mártires são recompensados, o povo infiel é destruído, e com isso, Deus sinaliza às nações, chamando-as a sujeitarem ao Seu Cristo (Sl.2:8-12). A queda de Jerusalém é um exemplo para todas as nações da terra. O mesmo cetro que foi arremessado contra aquela cidade, há de ser arremessado sobre todo sistema e estrutura que se levante contra o Reino de Deus.

Além disso tudo, o ressoar da sétima trombeta faz com que se abra no céu o templo de Deus, exibindo então a Arca da Sua Aliança que está no Santo dos Santos (11:19). O escritor de Hebreus diz que até então o caminho do Santo dos Santos ainda não estava descoberto, “enquanto continua em pé o primeiro tabernáculo” (Hb.9:8). A queda do Templo judaico deu lugar a “um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação (...) Pois Cristo não entrou em santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para comparecer, agora, por nós, perante a face de Deus” (Hb.9:11b, 24). Chegava ao fim o tempo das sombras; era o início de um novo tempo, onde já não precisamos dos sacrifícios prescritos na lei, nem do simbolismo do culto judaico. Anos antes da queda do Templo, Paulo disse que “estas são sombras das coisas futuras; a realidade, porém, encontra-se em Cristo” (Col.2:17).

Voltando ao capítulo dez de Apocalipse, João diz que o anjo ordena que ele coma o livrinho, e avisa que o seu sabor será doce em sua boca, mas amargo em seu estômago. João não foi o único a ter essa experiência; Ezequiel também relata ter passado por ela (Ez.3:1). O livro era doce ao paladar porque revelava a vontade soberana de Deus. Era amargo no ventre porque revelava o preço que deveria ser pago para que a vontade de Deus prevalecesse. O fato de Jesus ter sido rejeitado pelos judeus pode ser considerado como algo amargo; porém, o fato de isso ter aberto a oportunidade da salvação às demais nações é certamente algo maravilhoso e doce ao paladar.
Após degustar o livro, João ouve: “Importa que profetizes outra vez acerca de muitos povos, nações, línguas e reis” (10:11). Isso demonstra claramente que a queda de Jerusalém era apenas o início de um processo que culminaria com a queda de todas as estruturas e sistemas que se opusessem a Deus. O juízo de Deus sobre Israel prenuncia o juízo de Deus sobre todas as nações da terra.

(1) Aparição divina em forma angélica, muito comum no Antigo Testamento.

10 comentários:

wilkson disse...

esse é um mistério DE DEUS,e temos que estar sempre atento no que ta acontecendo no mundo!!porque as coisas acontecem e nao prestamos atençao..que aquilo esta escrito na biblia.por exemplo das torres gemeas.daniel 8 é muito legivel essa profecia.

lene disse...

Realmente, tudo q acontece no mundo é cumprimento das professias q estão na bíblia...Jesus disse q qdo tivesse perto do fim, haveria muitos sinais e podemos perceber alguns deles como... Pais contra filhos e filhos contra pais.. prostituição, guerras terremotos mais ainda n era o fim.. imagine qdo tiver mesmo perto?
Será terrível, por isso devemos cuidar em sirvir somente a Deus pq só ele poderá nos salvar.
Que Deus vos abençoe.

Cynthia disse...

Cynthia....

Pois é, o livro de Apocalipse já está ai, nós já estamos vivendo a cada minuto, cada dia que passa temos que nos apegar a DEUS, temos
que nos preparar para o Grande Dia.. Abraços para todos e ficam na Paz de DEUS.

naka disse...

irmãps se nos crusarmos os braços com certeza nos iremos ficar nesse mundo.....então...mãos a obra vamos evangelizar visitar os doentes ajudar os nescesitados Jesus esta as portas e nos ja estamos vivendo os dias maus oque vc tem feito para merecer a tua recompensa ou galardão não se preocupem porque oque é teu ninguem ira roubar

Israel disse...

Se o mistério de Deus já se cumpriu então a Esperança da Glória e a Redençaõ do corpo Já se cumpriram, e somos Já Herdamos, Pois esse é o Mistério de Deus, que é o Mistério de Cristo:

Romanos
Almeida Revista Corrigida e Anotada capítulo 8

Romanos
Almeida Revista Corrigida e Anotada capítulo 817 E, se nós somos filhos, somos, logo, herdeiros também, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.
18 Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser manifestada.
19 Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus.


20 Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou,
21 na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus.
22 Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora.
23 E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção (das crianças de Deus) a saber, a redenção do nosso corpo.

Veja que o Escritor afirma que seremos co-herdeiros na Redenção do Corpo, e isso obviamente aind não ocorreu

Col 2
2 para que os seus corações sejam consolados, e estejam unidos em caridade e enriquecidos da plenitude da inteligência, para conhecimento do mistério de Deus e pai, e de Cristo,


Ef 3:5-6

Efésios
Almeida Revista Corrigida e Anotada capítulo 35 o qual, noutros séculos, não foi manifestado aos filhos dos homens, como, agora, tem sido revelado pelo espírito aos seus santos apóstolos e profetas,
6 a saber, que os gentios são co-herdeiros, e de um mesmo corpo, e participantes da promessa em Cristo pelo evangelho;

rogério chagas disse...

O CRISTO, FILHO DO DEUS VIVO, É NOSSA ESPERANÇA, SALVAÇÃO PARA OS QUE CRER, EM CRISTO ESTAMOS GUARDADOS, ELE É O PORTO SEGURO PARA OS QUE NELE CONFIA, SEJA DEUS LOUVADO, GLORIFICADO E EXALTADO PARA TODO SEMPRE. AMÉM!!

Vera Lucia Cesar Cesar disse...

Gostaria de receber o estudo do Apocalipse.Por favor é muito importante pra mim.

Hermes C. Fernandes disse...

Oi Vera! O estudo está disponível aí no blog. Dá uma conferida e fique a vontade para imprimir se desejar.

Rogério OOliveira disse...

'Que o anjo do senhor, te visite nesse momento e lhe faça enxergar o que você não vê completamente..."Mensageiro de Deus"

Rogério OOliveira disse...

Um jovem apaixonado por compartilhar “conhecimento” e a transformar vidas.